FANDOM


Linha 58: Linha 58:
   
 
== Mass Effect: Paragon Lost ==
 
== Mass Effect: Paragon Lost ==
  +
[[File:Anderson promovendo James Vega.png|thumb|242x242px]]
 
Anderson junto com o [[Almirante Hackett]] elogia o Esquadrão Delta por suas ações heroicas e altruístas contra o Mercenários [[Blood Pack]] na colônia de [[Fehl Prime]]. Anderson parabeniza o Tenente [[James Vega]] por sua liderança num "inferno de batalha" o qual é esperado de veteranos de combate.
 
Anderson junto com o [[Almirante Hackett]] elogia o Esquadrão Delta por suas ações heroicas e altruístas contra o Mercenários [[Blood Pack]] na colônia de [[Fehl Prime]]. Anderson parabeniza o Tenente [[James Vega]] por sua liderança num "inferno de batalha" o qual é esperado de veteranos de combate.
   
 
Em 2185, após o ataque dos [[Collectors|Coletores]] em Fehl Prime ter sido anulado ao custo de quase todos os colonos e muito da sua infraestrutura, Anderson elogia o Tenente Vega novamente. Anderson afirma que as ações de Vega tinham coletado informação sobre os Coletores para a Aliança que poderia não apenas dar vantagem tática sobre seus oponentes mas também prover novas pesquisas de armas e naves. Após Hacket colocar a medalha de honra ao promover Vega para Tenente Comandante em seu uniforme, Anderson dá a Vega novas ordens. Vendo os esforços de Vega em seguir os passos de [[Comandante Shepard|Shepard]], Anderson conta a ele que ele pode ter uma oportunidade de trabalhar com Shepard um dia já que os rumores de sua morte ainda são prematuras.
 
Em 2185, após o ataque dos [[Collectors|Coletores]] em Fehl Prime ter sido anulado ao custo de quase todos os colonos e muito da sua infraestrutura, Anderson elogia o Tenente Vega novamente. Anderson afirma que as ações de Vega tinham coletado informação sobre os Coletores para a Aliança que poderia não apenas dar vantagem tática sobre seus oponentes mas também prover novas pesquisas de armas e naves. Após Hacket colocar a medalha de honra ao promover Vega para Tenente Comandante em seu uniforme, Anderson dá a Vega novas ordens. Vendo os esforços de Vega em seguir os passos de [[Comandante Shepard|Shepard]], Anderson conta a ele que ele pode ter uma oportunidade de trabalhar com Shepard um dia já que os rumores de sua morte ainda são prematuras.
  +
  +
== Mass Effect 2 ==
  +
Dependendo da escolha de Shepard, Anderson ou vai se juntar ao Conselho ou é promovido a Almirante e se torna o consultor do Conselheiro Udina - mesmo com o aborrecimento mútuo. Após isso, ele ouve rumores de que Shepard tinha sido reconstruído e foi levado ao controle da Normandy SR-2, Anderson então manda uma mensagem pedindo a Shepard para vir e encontrar com ele na Cidadela.
  +
  +
Se o Conselho sobreviveu, Anderson arruma um encontro com o Conselho e os persuade a dar a Shepard a chance de readquirir o estado de Espectro. Se o Conselho morreu, o novo Conselho se recura a ver Shepard, mas Anderson tem a autoridade de restaurar o estado de Espectro se ele desejar. Se o Conselho morreu e Udina foi feito Conselheiro, Anderson fica incapaz de intermediar o encontro e a subsequente restauração de estado de Espectro devido ao fato de Udina constantemente recusar ouvir Anderson.
  +
  +
Não importando a situação, Udina chega e fica irritado com Anderson estar organizando coisas por suas costas. Anderson permanece apoiando Shepard como sempre, contra todas as chances, embora ele reflita que sua posição atual não é como ele esperava passar seus anos crepusculares. Ele não confia na Cerberus, e guarda certo ressentimento de que Shepard está a seu serviço, mas Shepard deixa claro que não confia na Cerberus.
  +
  +
Se Anderson for visitado antes da missão em Horizon e for perguntado sobre o que aconteceu com Kaidan Alenko ou Ashley Williams (dependendo de quem morreu em Virmire em 2183), Anderson menciona que ele ou ela estão numa missão "confidencial" e que ele não pode dar mais detalhes. Se visitado após a missão de Horizon, se Shepard conta a Anderson sobre esbarrar em Kaidan Alenko/Ashley Williams em Horizon, Anderson confessa que ele o/a enviou para a colônia para descobrir se a Cerberus estava realmente por trás dos colonos humanos desaparecidos e ele não poderia contar a Shepard sem comprometer a investigação e se desculpa.
  +
  +
Se Shepard acusa Anderson de traição, Anderson explica que ele teve que investigar, dado os rumores pertubadores que ele recebeu do envolvimento de Shepard com a Cerberus. Anderson acredita que o Homem Ilusivo. ainda mestre e manipulador como é, está mentindo para Shepard. Anderson autoriza a construção das torretas GARDIAN em Horizon e a estação de Williams/Alenko lá para o programa de "divulgação". Anderson também revela que apesar de mesmo ele não confiar na Cerberus, o relatório de Williams/Alenko em Horizon confirmou a história de Shepard sobre os Coletores sendo a real fonte por trás dos colonos humanos desaparecidos. Anderson também menciona que Williams/Alenko não encontrou qualquer evidência que convença o Conselho de que Reapers existem.
  +
  +
==<nowiki/>==

Edição das 00h06min de 14 de novembro de 2019

"Eu conheço o Saren. Eu conheço sua reputação, suas políticas. Ele acredita que humanos são a praga da galáxia. Este ataque foi um ato de guerra."
Capitão David Edward Anderson é um herói de guerra humano e o capitão original da SSV Normandy. Anderson nasceu em 8 de Junho de 2137, seus pais eram Ursula e Paul Anderson, uma enfermeira e um mecânico de voo respectivamente, na cidade de Londres, na Terra e foi o último das três crianças do segundo casamento dos seus pais. Anderson é o único ativo mais condecorado das forças especiais da Aliança, e o primeiro a se graduar no programa de fuzileiro naval N7 na Estação Acturus, servindo com honra na Guerra do Primeiro Contato.

Mass Effect: Revelation

Em 2157, David Anderson foi o único soldado mais promissor do programa N7. Ele foi pessoalmente parabenizado pelas suas conquistas por Jon Grissom em sua graduação, apenas para ser informado que uma força alienígena tinha sido avistada próximo a um mass relay. Grissom estava impressionado pela mente tática do jovem Anderson e o avisou para se preparar para o combate. Anderson, mais tarde, serviu com distinção na Guerra do Primeiro Contato juntamente com Jill Dah.

Em 2165, o então Tenente David Anderson foi o Oficial Executivo (XO) da SSV Hastings. Quando a Hastings respondeu ao sinal de socorro da remota estação de pesquisa em Sidon, Anderson liderou o grupo de campo e descobriu que as instalação de Sidon tinham estado abrigando um traidor. Retornando à Cidadela para se recuperar após a missão, Anderson recebeu a decisão judicial final do seu divórcio com sua esposa Cynthia, uma separação causada pelas longas ausências da sua carreira militar. Ele então seguiu a tradição humana após se divorciar: ele foi ao Antro de Chora (Chora's Den), próximo ao seu apartamento na Cidadela, para afogar suas mágoas.

Após convocar ao seu escritório, a Embaixadora Anita Goyle revelou que Sidon estava pesquisando ilegalmente inteligência artificial, e pediu a ele para investigar discretamente, pois tal exposição poderia envergonhar a Aliança. Anderson, com a ajuda de um agente de informações salariano, administrou a procura apenas em arquivos de funcionários de Sidon que estavam ausentes durante o ataque, Kahlee Sanders, e descobriu que ela era a filha de Jon Grissom. Ele foi a Elysium sobre a cobertura de licença, e confrontou Grissom. O Almirante aposentado alegou que ele enviou Kahlee para a segurança e a obscuridade do Sistema Terminus, mas Anderson manteve a casa sobre vigilância.

Seu instinto se provou correto quando um krogan chamado Skarr apareceu procurando por Kahlee, que estava sendo escondida pelo seu pai. Anderson e Grissom poderiam de igual forma serem mortos, mas Saren Arterius, um Espectro Turiano, vinha rastreando o krogan e surgiu para repeli-lo. Saren interrogou Kahlee sobre Sidon; mesmo ele parecendo acreditar em sua mentira que tinha sido uma estação de pesquisa biótica, Anderson e Kahlee decidiram deixar Elysium e investigar as instalações de fabricação Dah'tan em Camala, onde o Dr. Shu Qian tinha obtido seus componentes. Um dos contatos obscuros de Grissom mudou a aparência de Kahlee e a deu uma identidade falsa para ajuda-la a transitar sem ser reconhecida.

Chegando em Camala, Anderson descobriu que as instalações de fabricação Dah'tan tinham sido destruídas. Ele foi à procura de Saren novamente, que tinha descoberto a verdade sobre Sidon e estava furioso por Anderson ter mentido para ele. Saren advertiu Anderson a não confiar em Kahlee, uma declaração que dizia que Kahlee confessou que ela sabia da verdadeira identidade do traidor em Sidon: o próprio Dr. Qian. Ela deu a Anderson uma OSD com a prova, a qual ele mais tarde repassou a Anita Goyle. Entretanto, como Kahlee estava disfarçada em Camala pela Aliança, Skarr conseguiu capturá-la, após conseguir uma dica com Saren. Goyle rapidamente apelou ao Conselho para permitir Anderson ir com Saren na missão de resgate, para acessar a candidatura de Anderson a Espectro, mas Anderson e Saren já não se gostavam, e a missão muito em breve azedou. Saren quebrou o plano e começou a destruir a refinaria de Elemento Zero onde Kahlee estava sendo mantida.

Anderson não suspeitou que Saren tinha uma segunda intenção durante o resgate - recuperar os arquivos de Dr. Qian sobre um artefato alien - assim que ele estava focado somente em resgatar Kahlee, com a qual ele tinha desenvolvido um pequeno romance. Com a ajuda dela, Anderson matou Skarr e os dois conseguiram escapara da refinaria a tempo. Apesar de Kahlee ter sido salva, muitos inocentes morreram devido às ações de Saren. Entretanto, Saren converteu a culpa a Anderson, alegando que o tenente tinha alertado os guardas e forçaram sua mão. Verdade ou não, isso foi o bastante para manter Anderson afastado dos Espectros.

Após a missão, Anderson e Kahlee tinham se despedido, assim que ela estava para ser transferida a uma localização secreta, e Anderson estava devotado à sua carreira militar. Uma história confusa do que aconteceu na refinaria eventualmente foi parar na Cidadela, como um rumor de que Anderson tinha sido o primeiro Espectro Humano e que estragou sua primeira missão de tão ruim forma que tinham cortado ele fora - um rumor que Harkin ainda repetia quase duas décadas depois.

Mass Effect: He Who Laughs Better

HWLB David Anderson

O Capitão David Anderson foi um dos oficiais da Aliança dos Sistemas presente para observar o teste de voo da SSV Normandy na Estação Arcturus, e estava acompanhado pelo Capitão Dillard e o representante turiano General Invectus. Dillard reclamou a Anderson a respeito da desconfiança da Hierarquia Turiana. Ele constatou que eles poderiam ter testado a Normandy por seus próprios passos uma semana antes, mas eles tiveram que esperar por um supervisor turiano, devido ao fato da Normandy ter sido um projeto colaborativo com os turianos. Anderson respondeu que o envio de apenas um turiano foi o mais próximo de confiança que eles poderiam alcançar.

Antes do teste de voo começar, um piloto desconhecido sequestrou a Normandy e se trancou na cabine do piloto para a consternação de Anderson e de outros observadores. Dillard ordenou que a patrulha de combate mais próxima tentasse forçar a Normandy a pousar e, ao falhar com isso, o alvo se voltou contra os motores da Normandy. Anderson não ficou animado a respeito dessa ideia de atirar contra a Normandy, mas Dillard apontou que até eles sabiam qual era a situação, eles tiveram que assumir o pior e prevenir que a Normandy caísse em mãos inimigas.

O sequestrador então se revelou a Anderson como o piloto da Aliança Jeff "Joker" Moreau. Quando a patrulha tentou desabilitar a Normandy, Joker foi capaz de evadir-se do fogo disparado, completar o curso de teste e retornar a Normandy ilesa às docas. Como Joker foi apreendido, Anderson perguntou a ele por que ele roubou a mais avançada fragata da Aliança. Joker respondeu que ele era o piloto mais qualificado da Estação Arcturus e que nasceu para pilotar a Normandy, se apaixonando e indo longe o bastante a ponto de roubá-la para ter uma chance de voar com ela. Dillard informou a Joker que ele iria à corte-marcial e seria preso pelos seus crimes.

Apesar disso, o General Invectus ficou impressionado pelas habilidades de Joker. Ele defendeu a conduta dele e insistiu que ele fosse feito o piloto oficial da Normandy. Anderson concordou, dizendo que enquanto Joker teria sido punido pelo que fez, ele não confiaria a Normandy a mais ninguém.

Mass Effect

AndersonSR1

Anderson continua na Aliança Militar, ganhando excelente reputação, e é eventualmente promovido a Capitão. Por um tempo, ele serve como o comandante da SSV Tokyo, um cruzeiro da Aliança. Ambos Navegador Pressly e Doutora Chakwas falam altamente da bravura de Anderson e suas habilidades de liderança. Devido a isso, e por causa do segredo sensível da natureza dos testes iniciais da Normandy, a Aliança dá a ele o comando do protótipo de fragata e o permite escolher a dedo sua tripulação. Ele escolhe o ou a Comandante Shepard como seu ou sua Oficial Executivo(a) e efetivamente se torna o mentor de Shepard.

A primeira missão da Normandy é cobrir a recuperação do Farol Prothean de Eden Prime. Um Espectro turiano, Nihlus Kryik, é atribuído para supervisionar a missão e ter acesso a Shepard como candidato a Espectro. Nihlus pretende acompanhar Shepard em muitas outras missões para monitorar o Comandante e dar ao Conselho uma recomendação. Entretanto, a situação se torna mais complicada quando a colônia é atacada pelos Geth e uma grande nave de guerra, e Nihlus é morto.

Council Chambers Udina Anderson

Após Shepard ser nocauteado durante o encontro com o Farol, Anderson ouve de Ashley e Kaidan, o time de campo em Eden Prime, que o ataque tinha sido liderado por ninguém menos que Saren, que assassinou Nihlus a sangue frio. Anderson acredita que seu velho inimigo está trabalhando com os geth para exterminar toda a raça humana e fica determinado em o parar. Porém há pouco com que ele possa parar Saren; seu passado azedo com o próprio Saren se complica na audição com o Conselho. O Embaixador Udina conta a Anderson para se afastar e deixar Shepard lidar com a investigação, então o Conselho não reclamará de que as acusações de traição da Aliança se forem associadas a velhos rancores. Anderson é capaz de oferecer a Shepard uma explicação da história de Saren, e a encontrar algumas pistas para ajudar no caso contra ele. Finalmente, uma vez que Shepard se torna Espectro, Anderson se afasta da liderança da Normandy, pondo o comando dela a Shepard. Ele admite que aquela não era a maneira que ele imaginava que sua carreira acabaria, mas ele está contente em passar a tocha ao seu protegido ou protegida.

Anderson permanece na Cidadela, capaz de dar conselhos e ensinamentos a Shepard quando necessário. Ele tinha a tendência de ser mais apoiador do que o Embaixador Udina durante qualquer interrogatório. Se perguntado sobre Armistan Banes, Anderson é pego de surpresa ao Shepard dizer tal nome, e aponta o comandante ao Almirante Kahoku na tentativa de encontrar respostas. Com o decorrer da missão, Anderson permanece como um dos poucos da estação que realmente acredita na visão que Shepard teve ao se aproximar do Farol Prothean, e entende a magnitude da ameaça que os Reapers impõem. Anderson acha que o Conduíte é algum tipo de arma Prothean, uma vez que Saren está planejando dizimar a galáxia. Quando Shepard finalmente reúne evidências suficientes da conduta de Saren no retorno da invasão Reaper, Anderson se toca que o Conselho e Udina poderiam usar o discurso de Shepard sobre os Reapers como uma desculpa para prender a Normandy nas docas, mas pegaram a mensagem de Shepard a tempo.

Andersoninflux

Fomentando um plano, Anderson convida o ou a Comandante para um encontro na Flux e oferece sua ajuda para destravar os sistemas da Normandy. Shepard o avisa que ele poderia ser preso por traição, mas Anderson apenas se importa em levar a Normandy a Ilos a tempo de parar Saren. Ele oferece a ou se arriscar enfrentando as patrulhas armadas da C-Sec para destravar os sistemas da nave diretamente (sendo baleado no processo), ou invadir o escritório de Udina para revogar a ordem de bloqueio, golpeando Udina no processo. O plano de Anderson funciona e a Normandy sai da Cidadela em segurança.

De alguma forma, Anderson consegue sobreviver ao ataque inicial na Cidadela quando Saren põe seu plano em ação. Após Sovereign ser destruído, Anderson lidera os times de resgate nas Câmaras do Conselho, procurando o esquadrão de Shepard.

Dependendo do resultado da história, Anderson é um dos dois candidatos que Shepard pode endossar como ou representante do Conselho Humano, ou o presidente do controle humano, ou o representante do Conselho exclusivamente humano se a Ascensão do Destino (Fragata Asari) for destruída. Se escolhido, Anderson fica honrado em aceitar o papel. Ele jura a ou ajudar a fortalecer e unir as raças da Cidadela contra os Reapers, ou usar sua experiência militar ao máximo, e espantar os Reapers de volta ao espaço negro.

Mass Effect: Ascension

Após sua missão juntos, Anderson arquiva um documento confidencial detalhando a relação de Kahlee com Jon Grissom. Este arquivo eventualmente cai em mãos do grupo extremista Cerberus. Um dos seus agentes, Dr. Jiro Toshiwa - então namorado de Kahlee em 2183 - lê seu conteúdo e mais tarde discute o parentesco de Kahlee com ela, apesar de Kahlee mais tarde se dar conta que ela nunca contou a Jiro sobre seu pai. Mais tarde, isso leva a exposição de Jiro e sua consequente captura.

Anderson também é mencionado por Kahlee mais tarde, quando ela, Hendel Mitra, Paul Grayson e sua filha Gillian estão em fuga da Cerberus. Ela sugere que ele pode protegê-los, mas Hendel dispensa a ideia, temendo que a Cerberus interceptará qualquer mensagem a Anderson antes que chegue a ele.

Mass Effect: Paragon Lost

Anderson promovendo James Vega

Anderson junto com o Almirante Hackett elogia o Esquadrão Delta por suas ações heroicas e altruístas contra o Mercenários Blood Pack na colônia de Fehl Prime. Anderson parabeniza o Tenente James Vega por sua liderança num "inferno de batalha" o qual é esperado de veteranos de combate.

Em 2185, após o ataque dos Coletores em Fehl Prime ter sido anulado ao custo de quase todos os colonos e muito da sua infraestrutura, Anderson elogia o Tenente Vega novamente. Anderson afirma que as ações de Vega tinham coletado informação sobre os Coletores para a Aliança que poderia não apenas dar vantagem tática sobre seus oponentes mas também prover novas pesquisas de armas e naves. Após Hacket colocar a medalha de honra ao promover Vega para Tenente Comandante em seu uniforme, Anderson dá a Vega novas ordens. Vendo os esforços de Vega em seguir os passos de Shepard, Anderson conta a ele que ele pode ter uma oportunidade de trabalhar com Shepard um dia já que os rumores de sua morte ainda são prematuras.

Mass Effect 2

Dependendo da escolha de Shepard, Anderson ou vai se juntar ao Conselho ou é promovido a Almirante e se torna o consultor do Conselheiro Udina - mesmo com o aborrecimento mútuo. Após isso, ele ouve rumores de que Shepard tinha sido reconstruído e foi levado ao controle da Normandy SR-2, Anderson então manda uma mensagem pedindo a Shepard para vir e encontrar com ele na Cidadela.

Se o Conselho sobreviveu, Anderson arruma um encontro com o Conselho e os persuade a dar a Shepard a chance de readquirir o estado de Espectro. Se o Conselho morreu, o novo Conselho se recura a ver Shepard, mas Anderson tem a autoridade de restaurar o estado de Espectro se ele desejar. Se o Conselho morreu e Udina foi feito Conselheiro, Anderson fica incapaz de intermediar o encontro e a subsequente restauração de estado de Espectro devido ao fato de Udina constantemente recusar ouvir Anderson.

Não importando a situação, Udina chega e fica irritado com Anderson estar organizando coisas por suas costas. Anderson permanece apoiando Shepard como sempre, contra todas as chances, embora ele reflita que sua posição atual não é como ele esperava passar seus anos crepusculares. Ele não confia na Cerberus, e guarda certo ressentimento de que Shepard está a seu serviço, mas Shepard deixa claro que não confia na Cerberus.

Se Anderson for visitado antes da missão em Horizon e for perguntado sobre o que aconteceu com Kaidan Alenko ou Ashley Williams (dependendo de quem morreu em Virmire em 2183), Anderson menciona que ele ou ela estão numa missão "confidencial" e que ele não pode dar mais detalhes. Se visitado após a missão de Horizon, se Shepard conta a Anderson sobre esbarrar em Kaidan Alenko/Ashley Williams em Horizon, Anderson confessa que ele o/a enviou para a colônia para descobrir se a Cerberus estava realmente por trás dos colonos humanos desaparecidos e ele não poderia contar a Shepard sem comprometer a investigação e se desculpa.

Se Shepard acusa Anderson de traição, Anderson explica que ele teve que investigar, dado os rumores pertubadores que ele recebeu do envolvimento de Shepard com a Cerberus. Anderson acredita que o Homem Ilusivo. ainda mestre e manipulador como é, está mentindo para Shepard. Anderson autoriza a construção das torretas GARDIAN em Horizon e a estação de Williams/Alenko lá para o programa de "divulgação". Anderson também revela que apesar de mesmo ele não confiar na Cerberus, o relatório de Williams/Alenko em Horizon confirmou a história de Shepard sobre os Coletores sendo a real fonte por trás dos colonos humanos desaparecidos. Anderson também menciona que Williams/Alenko não encontrou qualquer evidência que convença o Conselho de que Reapers existem.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.